TCE_IMPOSTO DE RENDA_MAIO 2024

 

Início » A segunda despedida de Robinho do Santos

A segunda despedida de Robinho do Santos

por Redacao
0 comentário

Um investimento de R$ 6 milhões, que rendeu ao Santos o retorno de um ídolo, 22 partidas, 11 gols, um título – outro pode ser conquistado hoje – e a certeza de que fez o negócio certo. Na final da Copa do Brasil, Robinho faz a sua segunda despedida do clube.

Na primeira, no dia 24 de agosto de 2005, negociado com o Real Madrid (ESP), o Rei do Drible saiu com a missão cumprida: deixou o Santos na liderança do Brasileirão, na vitória contra o Paysandu, e com R$ 71 milhões de reais nos cofres.

– Já naquela época era um cara extremamente preparado. Ficamos temerosos sobre o desempenho dele, mas se entregou, é acima da média no psicológico. Agora, vai ser tranquilo, está muito mais maduro – afirmou Gallo, ex-volante, e técnico do Santos na ocasião.

A segunda fase de Robinho pelo Peixe, realmente, foi mais animadora. Apesar do bicampeonato brasileiro, o Rei do Drible conquistou, em seis meses, números ainda mais impressionantes.

De 2002 a 2005, fez 190 jogos e marcou 83 gols, média de 0,43. Em 2010, foram 22 partidas e 11 gols, a média aumentou para 0,5. Além disso, conquistou o inédito Paulistão e pode coroar com o título da Copa do Brasil.

Agora, volta ao Manchester City (ING) com os objetivos cumpridos: mais valorizado e depois de disputar a Copa do Mundo.

Sabe-se que Unilever e Seara – além de um terceiro cotista – ajudaram a manter a união entre Robinho e Santos. A separação está próxima do fim e de mais um final feliz!

Por que valeu o investimento

Apresentação
Para quase dez mil pessoas, Robinho desce no gramado da Vila, de helicóptero, com o Rei Pelé. Foi organizado um grande evento, que incluiu show da banda Charlie Brown Jr.

De letra!
A reestreia pelo Santos não podia ter sido melhor! Ainda longe de sua melhor condição física, o Rei do Drible marca um gol de letra, no fim do clássico contra o São Paulo. Gol garante a vitória por 2 a 1, pelo Paulistão, em 7 de fevereiro.

Levanta a taça
Capitão do time no Paulistão, faz parte do time que encantou o Brasil no primeiro semestre e foi campeão paulista. Título inédito em sua carreira e que começa a compensar o investimento do clube.

Decisivo
Contra o Grêmio, por duas vezes, pelas semifinais da Copa do Brasil. No jogo de ida, faz o gol que reascende o time para o confronto de volta. Na Vila, faz o gol que dá mais tranquilidade para o Peixe garantir a classificação.

Confusão
A mais marcante foi com o volante e lateral Wesley. Os dois se desentendem após uma brincadeira no treino e, já na concentração, briga acaba acarretando o prejuízo de um retrovisor quebrado.

Adeus
Diferentemente do que aconteceu em 2005, Robinho, desta vez, tem a chance de sair com título ainda inédito na História do Santos: o da Copa do Brasil.
E sem sair brigado com a torcida e com a diretoria por ter insistido para ir embora.

lancenet

Você Pode Gostar

©1993-2023 – Gazeta do Pantanal