TRIBUNAL DE CONTAS-SINDROME DE DOW_ABRIL 2024

 

Início » Projeto de restauração do Forte Coimbra, estimado em R$ 7 milhões, recebe recursos

Projeto de restauração do Forte Coimbra, estimado em R$ 7 milhões, recebe recursos

O forte foi tombado como patrimônio histórico em 1974, terá investimento de aproximadamente R$ 500 mil pelo Iphan e o restante será levantado pelo Exército e Governo do Estado

por Redacao
0 comentário

O forte que pertence ao Exército Brasileiro está aos cuidados da 3ª Companhia de Fronteira – Foto: Glória Tega/Iphan

Com reparo do Forte Coimbra, estimado em R$ 7 milhões, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) de Mato Grosso do Sul disponibilizou parte da verba, assim como o projeto de restauro da edificação.

O Forte Coimbra, localizado no município de Corumbá, é administrado pelo Exército Brasileiro, no dia 26 de março, ganhou aproximadamente R$ 500 mil do Iphan-MS para contratação e execução do projeto.

O restante do valor será levantado por meio do governo do Estado, do Exército Brasileiro e outras fontes de recurso.

Divulgação CMO

A apresentação do projeto de reparo levou em conta a arquitetura da obra com seus valores estéticos, estruturais e culturais. O Forte foi tombado como patrimônio histórico em 1974, assim como inscrito no Livro do Tombo Histórico; Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico.]

Além da restauração do piso, cobertura, nova pintura nas paredes internas e externas, a obra também terá acessibilidade, devidas adequações e reformas do banheiro. Do lado de fora haverá a ampliação dos quatro espaços expositivos.

O superintendente do Iphan-MS, João Santos, destacou a importância do Forte Coimbra como única fortificação brasileira durante a guerra do Paraguai e a importância atual para a comunidade que vive em seu entorno.

“O forte tem em seus arredores uma vila de moradores devotos à figura de Nossa Senhora do Carmo, que é a padroeira do bem, onde a comunidade comemora anualmente sua festa religiosa, uma das mais antigas em território sul mato-grossense”, explicou o superintendente. “O projeto que está posto é o resultado do trabalho dos técnicos do Iphan e Exército Brasileiro, em conjunto com a sociedade civil organizada”, apontou João.

Já a assessora cultural do Comando Militar do Oeste,  Kauanna Lourdes Vasconcelos, aponta que a obra de revitalização do espaço tornará a fortificação apta para se qualificar como Patrimônio Mundial da Unesco.

“As tratativas ocorreram ao longo de 2019 até 2023, com reuniões e visitas para o alinhamento entre Exército, comunidade e profissionais de engenharia e museologia, para a avaliação dos projetos produzidos”, pontuou.

Patrimônio histórico

O forte está localizado no distrito de Coimbra, em Corumbá, na fronteira do Brasil com a Bolívia. A história do forte caminha com as conquistas espanholas e portuguesas na região estabelecendo limites entre as duas nações no país.

Com arquitetura militar portuguesa do século XVIII no contexto da guerra da Tríplice Aliança, chegou a ser tomado pelas tropas paraguaias e conquistado pelas tropas brasileiras.

O forte que pertence ao Exército Brasileiro está aos cuidados da 3ª Companhia de Fronteira, unidade militar da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira/Comando Militar do Oeste. Fonte: Correio do Estado

Você Pode Gostar

©1993-2023 – Gazeta do Pantanal