PF prende quadrilha que movimentou R$ 20 milhões no ano passado em Corumbá

A operação da PF (Polícia Federal) contra lavagem de dinheiro em Corumbá foi à conveniência da família do vereador Alex Prado Della (Republicanos), localizada na Rua Major Gama, Centro da cidade. De acordo com o Diário Corumbaense, outro ponto que amanheceu com equipes policiais foi uma garagem revendedora de carros localizada na Rua Edu Rocha, Bairro Aeroporto.

Com nome de urna Alex Dellas, ele informou à Justiça Eleitoral não ter bens e foi eleito com 894 votos. O Campo Grande News não conseguiu contato com o vereador.  A assessoria do parlamentar informou ao Diário Corumbaense que Alex não é investigado.

Imóvel alvo de mandado de busca em operação da Polícia Federal – Foto: Divulgação/PF

A 5ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande autorizou o sequestro de 4 imóveis e de 61 veículos, avaliados em R$ 8 milhões. A operação resultou no desfile de carrões pelos paralelepípedos de Corumbá, como Porsche e Mustang.  Imagens divulgadas pela polícia mostram apreensão de dinheiro, cheques, arma e joias, além de “visita” a imóveis de alto padrão.

De acordo com a PF, são 15 mandados de busca e apreensão nesta quinta-feira (dia 29).  Conforme a investigação, a quadrilha alvo da operação Mamon movimentou R$ 20 milhões no ano passado.

O Poder Judiciário ainda determinou suspensão de atividades econômicas de quatro empresas de fachada, além do bloqueio de valores em contas bancárias.

Segundo as investigações da Polícia Federal, o grupo criminoso ostenta elevado padrão de vida e se vale de um complexo esquema de lavagem de dinheiro, o qual envolve o sistema bancário, operadoras de crédito, cheques, compra e venda de veículos, e transações em espécie.

O esquema criminoso contava com laranjas e empresas de fachadas para ocultação de bens e valores provenientes de crimes como tráfico de drogas e contrabando. Os investigados poderão responder pelos crimes de lavagem de capitais e organização criminosa, cujas penas, somadas, podem ultrapassar 15 anos de prisão.

O combate à lavagem de dinheiro também cumpre mandados em Belo Horizonte (Minas Gerais) e Quinta do Sol (Paraná).  Mamon é transliteração da palavra hebraica “Mamom”, a qual significa dinheiro ou riqueza. Com informações do Diário Corumbaense e Campo Grande News

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com