TRIBUNAL DE CONTAS-SINDROME DE DOW_ABRIL 2024

 

Início » Demanda por suínos cresce no Brasil

Demanda por suínos cresce no Brasil

por Redacao
0 comentário

Em Minas Gerais, por exemplo, a grande procura pela carne suína resultou no aumento da cotação de venda por quilo, que passou mais de 12 semanas sendo comercializada a R$ 2,80 o quilo. A mudança de mercado proporcionou aos produtores da região um aumento de R$ 0,10 no quilo do suíno vivo que está sendo vendido a R$ 2,90.

Em São Paulo, o comércio está acontecendo em volumes estáveis, mas em valores maiores se comparados com o mesmo período do mês anterior. Segundo a Associação Paulista dos Criadores de Suínos (APCS), houve comercialização 13.010 suínos, com preços variando entre R$ 50,00 e R$ 52,00 a @ o equivalente a R$ 2,66 e R$ 2,77 o quilo do suíno vivo, respectivamente.

Em Santa Catarina, o momento é de aumento da demanda de suínos, com a oferta bastante ajustada, segundo a Associação Catarinense dos Criadores de Suínos (ACCS). Com o quilo do suíno vivo sendo comercializado a R$ 2,35, a expectativa é de sustentação dos preços para os próximos dias, mas há expectativa de alta ainda em agosto.  Já no Rio Grande do Sul, o valor máximo atingido na venda do quilo do suíno vivo foi de R$ 2,30, mantendo a estabilidade do mês anterior, segundo informações da Associação dos Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs).

O Paraná apresentou alterações positivas na cotação do suíno vivo, que está sendo comercializado em até R$ 2,65 segundo a Associação Paranaense de Suinocultores (APS), preço de comércio da cidade de Guarapuava, no centro do estado. Já em Castro, cidade no centro-sul do estado, o quilo do suíno vivo está comercializando a R$ 0,10 a mais que na semana anterior, chegando a R$ 2,40.  Os produtores da região oeste, em Cascavel, foram beneficiados com a mudança de consumo, com aumento de R$ 0,15, fechando o preço a R$2,30 o quilo. A associação informou ainda que o mercado tem apresentado grandes mudanças e  que os preços podem sofrer alterações positivas nos próximos dias.

Em Goiás, o mercado apresenta consumo estável e as cotações apresentam perspectivas de alta, com o quilo do suíno vivo sendo comercializado a R$ 2,75, segundo a Associação Goiana de Suinocultores (AGS).

Declarações

“Nossa expectativa ainda é de aumento para as próximas semanas com a possível ampliação no volume de carne suína para exportações no mês de setembro. Por enquanto, a oferta e procura estão bastantes estabilizados, reflexo da recuperação de mercado do mês de julho”
Losivanio de Lorenzi., presidente da ACCS

“O mercado em Minas está bastante favorável, com o aumento no valor de comercialização do quilo do suíno no estado. A expectativa dos produtores da região, para maiores mudanças na cotação, é também a elevação dos preços e a reação dos mercados nos estados do Sul e em São Paulo”
Armando Carneiro, conselheiro de mercado da Associação de Suinocultores do Vale do Piranga (Assuvap)

“No Mato Grosso, o mercado se mantém firme, com média de R$2,35 o quilo do suíno vivo. Com o aumento dos preços de comercialização em São Paulo e também em Minas Gerais, esperamos que o preço no mato Grosso também eleve nas próximas semanas”

 Custódio Rodrigues de Castro Jr., secretário-executivo da Associação dos Criadores de Suínos do Mato Grosso (Acrismat)

Cotações Máx

  • SP R$ 2,77
  • PR R$ 2,65
  • SC R$ 2,35
  • GO R$ 2,75
  • RS R$ 2,30
  • MG R$ 2,90

 Portal do Agronegocio

Você Pode Gostar

©1993-2023 – Gazeta do Pantanal