Corumbá tem bons atrativos culturais e gastronomia pantaneira

Viajar em família em período de férias para desfrutar as belezas do Pantanal tem um destino: Corumbá, distante 430 km de Campo Grande. A histórica cidade, fundada em 1778, reserva bons atrativos culturais, como casarões, museu e fortificações militares, e degustação da gastronomia pantaneira, à base de peixe e carne bovina seca.

Um dos melhores passeios pela capital do Pantanal é navegar pelo Rio Paraguai em embarcações com toda a segurança e uma estrutura que inclui restaurante, assentos confortáveis e piscina. Um programa para todas as idades. O roteiro abrange a orla portuária e a fronteira com a Bolívia, onde se chega pelo Canal do Tamengo – único acesso por água do vizinho país ao mar.

O Rio Paraguai fica na Cidade Branca e encanta os turistas, principalmente os estrangeiros – Foto: Silvio Andrade

Corumbá ganhou o status de capital desse paraíso natural porque detém a maior porção do bioma, que ocupa 60% do seu território, com mais de 64 mil km² – é o 11º maior município do Brasil em extensão. Faz limite com sete municípios do Estado e ao norte com Poconé, Mato Grosso, onde fica o Parque Nacional do Pantanal.

A cidade é um museu a céu aberto, com suas construções do século 19 e registros históricos, quecontam a ocupação da região por tribos indígenas extintas, a invasão paraguaia durante a sangrenta Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870) e os tempos de fausto, até os anos 30 do século 20, quando o efervescente comércio fluvial trouxe influências europeias e platinas na sua arquitetura.

Navegando pelo rio

O passeio pelo Rio Paraguai pode ser feito em chalanas (botes), que podem ser contratadas na orla portuária, e em grandes embarcações, uma delas a Pérola do Pantanal, em atividade há mais de 30 anos. Com três andares, esse barco tem capacidade para 160 pessoas confortavelmente instaladas, com restaurante climatizado, espaço para dançar com música ao vivo e piscina no deck, onde se tem uma vista privilegiada do Pantanal e da cidade.

O passeio na Pérola do Pantanal, para mínimo de 30 pessoas, tem duração de 3h30min e custa R$ 110,00, com tudo incluso, desde o suculento almoço pantaneiro, a sobremesa, o caldo de piranha, a caipirinha e os petiscos. O barco navega mansamente pelo rio em duas direções, sempre circundando a orla com suas encostas rochosas, de onde se avista o Casario do Porto, patrimônio nacional.

Depois da passagem pela captação de água, uma estrutura de concreto construída nos anos de 1960 na curva do rio, a Pérola leva o visitante até a fronteira com a Bolívia, pelo Canal do Tamengo. O acesso ao vizinho país, onde se concentra forte comércio de roupas e equipamentos eletrônicos, é feito também por rodovia, a uma distância de 5 km.

Na descida do rio, a embarcação cruza toda a área portuária de Corumbá em direção a Ladário, cidade-gêmea que já foi distrito e abriga a fortificação da Marinha, construída em 1873.

O passeio segue animado, com as pessoas dançando numa mistura de ritmos brasileiros e fronteiriços, ao som de teclado, enquanto o barco chega ao Rio Bracinho, um afluente do Paraguai. Momento mais esperado pelas crianças: é hora da divertida pesca de piranha com vara de bambu. Com Correio do estado/Silvio Andrade

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com