Atriz de MS comemora primeiro papel fixo em “Flor do Caribe”

O sotaque sul-mato-grossense, Karen Brusttolin praticamente deixou em sua cidade natal, Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. De lá, partiu aos 18 anos rumo ao Rio de Janeiro para tentar realizar o seu desejo de infância de ser atriz. No elenco de Flor do Caribe, interpreta a dançarina e garçonete Nina e vê sua vida profissional diante das câmaras começando a se desenhar. “Estou feliz da vida. Esse é um momento muito marcante na minha carreira. A Nina é minha primeira personagem fixa na TV”, explica, já que seus trabalhos anteriores, em Beleza Pura, Viver a Vida, Passione e Poder Paralelo, foram apenas participações.

Karen Brusttolin

Karen Brusttolin

Karen iniciou no teatro amador aos 13 anos de idade, em Mato Grosso do Sul. Lá, descobriu sua veia artística e começou a investir no teatro profissional. “Eu viajava e fazia diversos festivais ao redor do Paraná com o grupo de teatro Cenamania”, recorda. Até que, com o apoio emocional dos pais, decidiu deixar sua terra. Sozinha no Rio de Janeiro, a atriz lembra que seu maior impacto na cidade foi o mercado de trabalho. “Descobri que esse processo de início de carreira na área teatral é muito incerto. Por isso, fui para o figurino. O figurino e a moda me sustentaram até aqui”, conta, ao explicar que está fazendo o possível para conciliar as gravações de Flor do Caribe com suas atividades como consultora de estilo e figurinista.

Para compor Nina, a atriz experimentou, pela primeira vez, a sensação de se preparar para dar vida a uma personagem. Na trama, intérprete de uma dançarina na boate Flor do Caribe, de Cassiano, personagem de Henri Castelli, Karen teve de mergulhar no mundo da dança para não fazer feio. “Como a boate é caribenha, durante três meses, fiz laboratório de aulas de dança de salão, salsa e zouk”, pontua. Quanto às mudanças no visual, a atriz não precisou fazer nada radical. Pelo contrário, entrou para a novela de Walther Negrão exatamente do mesmo jeito em que fez o teste, apenas definiu mais o corte de cabelo. Apesar de não ter sido necessário nenhuma mudança, Karen faz questão de esclarecer que não é apegada a seu estilo e que toparia mudar pela personagem.

Em relação ao clima nos sets de gravação, a atriz conta que melhor seria impossível. “Como somos o núcleo jovem da trama, sempre estamos em turma. Rindo, batendo um bom papo e dançando na boate”, diverte-se, ao dar uma dica dos bastidores e elogiar a direção da novela. Na história, apesar da atmosfera descontraída entre jovens, a princípio Nina não se envolve afetivamente com ninguém. “Ainda não estou sabendo se mais para frente ela vai se relacionar com alguém. Por enquanto, ela só pensa em se divertir com os amigos”, ressalta.

Karen ainda confessa estar ansiosa para ver a repercussão de sua atuação junto ao público. “Espero que todos gostem”, diz. Atualmente integrante da Cia. Teatral Omame, a atriz já faz planos para assim que encerrar as gravações de Flor do Caribe. Pretende se dedicar ao projeto de teatro experimental que, segundo ela, é a sua linguagem teatral. “Estamos bem no início ainda desse projeto. Primeiramente, vamos fazer pesquisas para depois começar a colocar texto e, no final, pensamos no nome”, diz, ao esclarecer que ainda não teve tempo para se “debruçar” sobre a nova obra.

Fonte: TV Press

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com