AGEMS_22 ANOS

 

Início » Ex-policiais roubam 65 kg de cocaína de traficante em Campo Grande

Ex-policiais roubam 65 kg de cocaína de traficante em Campo Grande

por Redacao
0 comentário

Indivíduos se passaram por policiais civis para “interceptar” os entorpecentes de um homem que atuava como “guarda-roupa” – Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira (20), a Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubos e Furtos (Derf) deflagou a operação “Impostores”, com o objetivo de cumprir quatro mandados de prisão preventiva e quatro de busca e apreensão domiciliar, de indivíduos que se passaram por policiais civis para roubar cocaína de um homem que armazenava drogas para traficantes.

Dos quatro autores, dois haviam ligação com a polícia: um era policial militar aposentado, e outro era ex-policial militar, expulso em 2004. O terceiro envolvido era um vigilante, e o quarto um técnico em agrimensura. Todos foram indiciados pelas infrações penais de roubo majorado, tráfico de drogas, associação para o tráfico e fingir-se funcionário público.

As ordens judiciais foram expedidas pela 4ª Vara Criminal de Campo Grande-MS, e a ação contou com o apoio da Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras).

Denúncia

A Polícia Civil informou que no dia 18 de outubro, um homem residente no Bairro Aguadinha, em Campo Grande, notificou que sofreu um roubo a residência, afirmando inicialmente que teriam sido subtraídos joias, aparelhos celulares e R$ 15 mil em dinheiro.

Após ser confrontado com várias inconsistências, o homem revelou que, na verdade, atuava como “guarda roupa” (gíria conhecida por guardar drogas para traficantes), e escondia 65 kg de cocaína em sua residência.

O roubo em questão havia sido a abordagem de indivíduos que se identificaram como policiais civis da Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar), que vestiam roupas operacionais, portavam arma de fogo, algemas e se chamavam entre si de “stive” (forma que um policial se dirige a outro nas ações policiais), bem como utilizavam os veículos VW/Gol de cor vermelha e GM/Ônix de cor prata.

Os supostos policiais acabaram realizando revista na casa, oportunidade em que “apreenderam” 65 kg de cocaína e dois aparelhos celulares, e efetuaram a “prisão” do homem. No entanto, os falsos policiais não o conduziram à Denar, como haviam informado, e o liberaram no Bairro Cristo Redentor.

Segundo a investigação, eles seguiram em poder da droga e celulares subtraídos.

O homem relatou que somente registrou o boletim de ocorrência noticiando falsamente a subtração de dinheiro e joias porque estava desesperado em obter imagens de câmeras de segurança na vizinhança e, assim, prestar contas da perda da droga pertencente à facção criminosa, sob pena de ser morto.

Operação

Após investigação policial, a DERF identificou quatro autores: R.S., de 59 anos de idade, policial militar aposentado; M.J.P.M., de 52 anos de idade, ex-policial militar expulso em 2004; E. L. D., de 48 anos de idade, vigilante; R.R.S., de 25 anos de idade, técnico em agrimensura. Todos foram indiciados pelas infrações penais de roubo majorado, tráfico de drogas, associação para o tráfico e fingir-se funcionário público.

Durante a investigação, foram apreendidos em poder do grupo: VW/Gol de cor vermelha; GM/Ônix de cor prata; uma algema, 18 kg de cocaína e coletes policiais sem identificação. As buscas foram realizadas, sendo cumpridos até o presente momento dois mandados de prisão preventiva.

Um dos indivíduos também foi preso em flagrante por tráfico de drogas, pois estava na posse de aproximadamente 250 g de pasta base de cocaína. A DERF ainda realiza diligências visando cumprir os dois mandados de prisão remanescentes.

 

 

Você Pode Gostar

©1993-2023 – Gazeta do Pantanal