Ilumina Pantanal é finalista em prêmio internacional de inovação no Reino Unido

O projeto “Ilumina Pantanal”, que levará energia elétrica para mais de cinco mil pessoas que vivem em áreas remotas do Pantanal de Mato Grosso do Sul até 2022, foi indicado a um dos maiores prêmios de inovação em geração solar do mundo: o Solar & Storage Live Awards 2021, que acontecerá entre os dias 23 e 25 de novembro em Birmingham, na Inglaterra.

Desenvolvido pela concessionária Energisa, em parceria com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e o Governo de Mato Grosso do Sul, o “Ilumina Pantanal” concorre com outras duas iniciativas na categoria “International Solar and/or Storage Project of the Year” – em português: Projeto Internacional Solar e/ou Armazenamento do Ano.

O prêmio é concedido pela Solar Energy UK, uma organização sem fins lucrativos que trabalha em uma agenda que representa toda a cadeia de valor do armazenamento solar e de energia, liderada por membros de mais de 230 empresas e associados.

“Amplia o acesso à energia elétrica, melhorando a qualidade de vida da população com fornecimento de uma energia limpa, que preserva a fauna e a flora”, explica o governador Reinaldo Azambuja sobre o programa. “É um programa inovador que levará 90 mil km² de novas coberturas aos municípios de Aquidauana, Corumbá, Coxim, Ladário, Miranda, Porto Murtinho e Rio Verde. Essa área territorial é quase o tamanho de Portugal, ou superior aos países da Dinamarca e Holanda juntos”, completa o governador de Mato Grosso do Sul.

O projeto beneficiará Aquidauana, Corumbá, Coxim, Ladário, Miranda, Porto Murtinho e Rio Verde – Foto: Divulgação

Para o diretor-presidente da Energisa Mato Grosso do Sul, Marcelo Vinhaes, a indicação do “Ilumina Pantanal” ao prêmio reforça o orgulho que o grupo tem do Estado. “É o nosso Pantanal sendo destaque internacional com a Energisa levando essa iniciativa para um dos maiores encontros em energia renovável do mundo. Seguiremos investindo continuamente em inovação e sustentabilidade. Temos a convicção de que criamos uma solução pioneira e robusta que vai contribuir, de forma significativa, para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e para o desenvolvimento sustentável deste que é considerado um Patrimônio Natural da Humanidade”, declara.

Já o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck, afirma que a indicação ao prêmio referenda a política pública da sustentabilidade, adotada pelo Governo do Estado.

“Confirma que estratégia de preservação e conservação do Pantanal aliada a estratégia de ampliação da energia limpa no Mato Grosso do Sul deu certo. Nesse cenário, um ponto fundamental é que todos as propriedades e produtores dessa região vão ter acesso à energia elétrica, que é considerado um bem básico e essencial para desenvolvimento das atividades econômicas. Estamos atendendo uma região remota com um projeto sustentável, com energia renovável e atendimento direto aos ribeirinhos, produtores rurais e todos que ali vivem. Tudo isso com Mato Grosso do Sul caminhando para ser estado carbono neutro em 2030”, avalia.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com