Boliviana que autorizou voo da Chapecoense que terminou em desastre é presa em Corumbá

A Polícia Federal em Corumbá confirmou no começo da noite desta quinta-feira (23) que prendeu boliviana envolvida no acidente aéreo que matou jogadores da Chapecoense, em novembro de 2016.

A mulher estava foragida da Justiça boliviana e foi responsável pela análise e aprovação do plano de voo da aeronave. O acidente ocorreu à noite e quando estava aproximando-se do Aeroporto Internacional José Maria Cordova, em Rio Negro, a poucos quilômetros da cidade de Medelín, na Colômbia, acabou caindo.

Celia Castedo Monasterio, ex-funcionária da Aasana na Bolívia – Foto: Reprodução

Com a colisão, 71 pessoas morreram. O avião transportava o time da Chapecoense, que disputava a Libertadores da América na época.

“A boliviana era especialista em segurança de voo e, na ocasião, teria deixado, fraudulentamente, de observar os requisitos procedimentais mínimos para a aprovação do plano de voo da aeronave, eis que no programa apresentado, a autonomia de voo não era adequada para a viagem”, explicou a Polícia Federal, em nota.

A mulher detida permanecerá reclusa em Corumbá e aguardará os trâmites legais para que seja entregue às autoridades bolivianas. Com informações do Correio do Estado

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com