Suspeito de atacar sede do Porta dos Fundos é preso na Rússia

O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou, na tarde de hoje, que Eduardo Fauzi, suspeito de ataque com coquetel molotov à sede da produtora Porta dos Fundos, foi preso pela Interpol em Moscou, na Rússia. Ele será extraditado para o Brasil. Fauzi estava na Rússia desde dezembro do ano passado, depois de viajar em um voo com destino a Paris para chegar a Moscou, no dia 29 de dezembro.

O atentado no Porta dos Fundos aconteceu na véspera de Natal, em 2019. Na ocasião, o grupo lançou um especial da data em que fazia uma releitura humorística da vida de Cristo na Netflix. Na gravação, Deus tinha um caráter de mentiroso e Jesus tinha um relacionamento homoafetivo.

Fauzi estava na Rússia desde dezembro do ano passado – Foto: Reprodução

O prédio, localizado na zona sul, foi alvo de bombas e chegou a ter um princípio de incêndio, que foi controlado. Eduardo Fauzi foi reconhecido em uma das gravações de câmeras de segurança que captaram a ação. Ele teve mandado de prisão expedido pela Justiça, mas viajou para Moscou um dia antes. A Polícia Civil pediu para incluir o nome dele na lista de foragidos da Interpol.

“Se Interpol vier, vão me levar com sorriso nos lábios” Em fevereiro, Fauzi afirmou em entrevista ao jornal “Extra” que se a Interpol viesse, iria levá-lo com sorriso nos lábios. “Não fiz nada de errado e não tenho que ter medo de nada. Pelo contrário, tenho fé e orgulho do homem que sou e das coisas que fiz. Se a Interpol [polícia internacional] vier, vão me achar confiante e seguro, e vão me levar com um sorriso nos lábios e de cabeça erguida”, disse Fauzi. Na ocasião, o jornal publicou ainda fotos de Fauzi dançando no que parece ser uma boate russa. Nas imagens, ele dança com uma bailarina de origem russo-israelense com quem ele tem um relacionamento e um filho de três anos.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com