Cresce número de casos confirmados para a Covid-19 em Miranda

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira, 28 pela Secretaria Municipal de Saúde, subiu de 28 para 45 os casos confirmados para o coronavírus no município, 116 suspeitos; todos os pacientes se encontram em isolamento, seguindo todos os protocolos estabelecidos pelas autoridades sanitárias.

A Secretaria de Saúde informou ainda, que vem desenvolvendo ações em conjunto com Sesai (Secretaria de Saúde Indígena). Destaca ainda que todos os casos positivos, os pacientes que aguardam resultados de exames, e os que tiveram contato com algum paciente positivo para a Covid-19, se encontram em isolamento como recomenda o protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde.

Subiu de 28 para 45 os casos confirmados para o coronavírus no município – Foto: Divulgação/PMM

Nesta segunda-feira, 27 o prefeito Edson Moraes (PSDB) esteve reunido com o secretário da Saúde do Governo do Estado, Geraldo Rezende para alertar sobre a situação do avanço da pandemia no município, em especial nas áreas indígenas.

Durante a reunião, Geraldo Rezende disponibilizou o envio de 25.200 (vinet e cinco mil e duzentas máscaras), além de álcool em gel para distribuição no município.

Além disso, Edson Moraes determinou a implantação de um hospital de campanha, que está sendo adaptado nas dependências a escola Caic, localizado próximo ao hospital municipal, Renato Albuquerque Filho.

“Todas as medidas estão sendo tomadas. Estamos trabalhando para conseguir brecar o contagio do coronavírus entre nossa comunidade. No entanto, precisamos que a população colabore, fiquem em casa, só saiam se extremamente necessário, usem máscara, façam a higienização das mãos e mantenham o distanciamento social. Peço a colaboração de todos. Só assim vamos vencer essa batalha”, enfatizou o prefeito.

Sintomas da Covid-19

Os sintomas são semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. Os principais são indícios são:

– Febre

– Tosse

– Dificuldade para respirar

Vale destacar que o vírus pode ficar incubado por duas semanas, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). É necessária coleta de duas amostras na suspeita do coronavírus (Covid-19), que serão encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen).

Para confirmar a doença é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o RNA viral. O diagnóstico é feito com a coleta de amostra, que está indicada sempre que ocorrer a identificação de caso suspeito.

Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

Tratamento 

Não existe tratamento específico para infecções causadas por coronavírus humano. É recomendado repouso e consumo de bastante água. Outras medidas também devem ser adotadas para aliviar os sintomas, dependendo de cada caso, como, por exemplo:

– Uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos)

– Uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse

Importante: Ao surgirem os primeiros sintomas, é fundamental procurar ajuda médica imediata para confirmar diagnóstico e iniciar o tratamento.

Prevenção

Entre as medidas preventivas estão:

Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas ou que apresentem sintomas da doença;

Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente.  Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

– Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

– Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

– Manter os ambientes bem ventilados;

– Limpar e higienizar objetos e superfícies tocados com frequência;

– Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

*Com informações da Assessoria de Comunicação

Comente esta noticia...

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com