Três pré-candidatos a prefeito movimentam a política mirandense

Áureo Audi / Gazeta do Pantanal

Com a aproximação das convenções partidárias marcadas a princípio para o mês de julho, uma vez que o Senado Federal aprovou a mudança da data para o mês de novembro, mas que precisa da concordância da Câmara Federal que ainda não decidiu pela aprovação ou pela rejeição da mudança da data, muitos pré-candidatos já começam a se movimentar.

Em Miranda, o prefeito Edson Moraes do PSDB é candidato natural a reeleição. Moraes que assumiu a prefeitura em agosto do ano passado, por determinação da justiça eleitoral que cassou a candidatura da ex-prefeita Marlene Bossay (MDB),  e disputou uma eleição extemporânea que aconteceu em outubro do mesmo ano, foi eleito com mais de sete mil votos. Com vasta experiência na política local, Moraes é oriundo de família de políticos na cidade. Pai, irmãos e cunhada já passaram pelo crivo dos eleitores mirandenses.

Em seu primeiro mandato no executivo municipal, tem tido apoio não só por parte significativa do poder legislativo, como também de seguimentos importantes da comunidade local. Especialistas da política local acreditam que Edson Moraes pode ter uma “reeleição tranquila”.

Edson Moraes (PSDB), Cido do Zero Hora (PP) e Diogo Bossay (PSD) – Foto: Reprodução

No entanto, o pré-candidato peessedebista, cauteloso prefere encarar a disputa de forma serena, com os pés no chão. “Cada eleição é uma eleição diferente. Temos que trabalhar com seriedade e não menosprezar nenhum outro pré-candidato que surgir. Afinal, qualquer cidadão ou cidadã pode ser candidato desde que preencha os requisitos estabelecidos pela Legislação Eleitoral”.

Diogo Bossay (PSD) , médico e filho dos ex-prefeitos Ivan Bossay e Marlene Bossay , cassada em 2019 pelo Tribunal Regional Eleitoral também é lembrado como provável pré-candidato a prefeito da cidade. Filiado ao PSD que conta com uma vereadora na Câmara Municipal que compõe a base de sustentação do prefeito Edson Moraes (PSDB), tem feito segredo sobre os rumos que pode tomar. No entanto, segundo informações obtidas junto aos bastidores da política local, Diogo Bossay teria reafirmado que sua “família” nunca ficou alijada do processo eleitoral na cidade e que não ficará dessa vez. Especula-se a possibilidade do PSD, partido de Diogo Bossay também compor com o PSDB. Mas, nada é oficial.

Empresário, ex-vice-prefeito na administração do prefeito Neder Vedovato, ex-presidente da Câmara, Aparecido Rojo Duarte (PP), conhecido como Cido do Zero Hora também é pré-candidato a prefeito nas eleições de 2020.

Adversário  político histórico da família Bossay, o empresário foi aliado de primeira ordem na campanha do atual prefeito Edson Moraes. Divergências políticas fizeram de Cido um dissidente e o rompimento político com o atual prefeito não demorou a ocorrer.

Cido que está filiado ao PP conta com o apoio do Podemos que tem um vereador na Câmara Municipal. Além disso, o partido a que está filiado ocupa duas cadeira na Assembleia Legislativa, dentre os quais o deputado Evander Vendramini que é o Presidente Estadual do PP, e que tem respaldado a pré-candidatura do empresário.

Cido do Zero Hora tem reafirmado sua posição de pré-candidato e reafirma ainda que fará tudo para viabilizar sua candidatura. “Me sinto preparado para colocar meu nome a apreciação do eleitor mirandense. Tenho serviços prestados a comunidade mirandense. Gosto de minha cidade, tenho credibilidade e quem me conhece sabe disso. Política é como nuvem, você olha pra cima esta de um jeito, quando olha pra baixo esta de outro. Vamos trabalhando e aguardando o que nos reserva”, concluiu.

Comente esta noticia...

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com