Em Miranda vaga pelo cargo de vice-prefeito movimenta o tabuleiro do jogo político

Áureo Audi / Gazeta do Pantanal

Considerado um dos melhores prefeitos da região Sudoeste do Estado, o prefeito do município de Miranda, Edson Moraes de Souza (PSDB), é pré-candidato a prefeito para as próximas eleições marcada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para o mês de novembro em, decorrência do novo coronavírus.

Moraes, que foi presidente da Câmara Municipal assumiu a prefeitura em agosto do ano passado, após decisão do Tribunal Regional Eleitoral em cassar o mandato da ex-prefeita Marlene Bossay, (MDB). Ele eleito em uma eleição extemporânea em outubro de 2019.

Mesmo diante da situação econômica desastrosa em que encontrou a administração pública municipal, Edson Moraes conseguiu colocar as finanças da prefeitura em situação economicamente viável.  Pagamento de funcionários em dia, prestadores de serviços, além de estar em andamento várias obras de infraestrutura na cidade.

O relator da PEC, Weverton Rocha (PDT-MA), defende que o primeiro turno seja adiado para 15 de novembro, e o segundo, para 29 de novembro – Foto: Reprodução

Com a chegada da pandemia da Covid-19 no Brasil, o prefeito também saiu na frente; editou diversos decretos, incluindo a suspensão de aulas presenciais na rede municipal de ensino, toque de recolher, limitação de horários para o comércio não considerado essencial, barreiras sanitárias, dentre outras medidas que fizeram com que o município, depois de três meses do surgimento da Covid-19 tenha em seu registro apenas um caso da doença por uma moradora da cidade. Todos os casos suspeitos estão sob controle e investigação.

Diante das ações e da execução dos trabalhos á frente do executivo municipal, Edson Moraes é hoje o pré-candidato a prefeito, para as eleições de novembro, mais assediado por políticos originários das mais diversas agremiações partidárias instituídas na cidade.

Nomes que disputam a vaga de vice-prefeito

Dentre os nomes que disputam a indicação dos respectivos partidos para ocupar a indicação de vice na chapa do pré-candidato a prefeito pelo PSDB destacam-se: os vereadores André Vedovato e Nilton Medeiros ambos filiados ao PDT. Vedovato é filho do ex-prefeito de Miranda, Neder Vedovato que preside o diretório municipal do partido.

Nilton Medeiros, também vereador migrou recentemente do PSB para o PDT e lidera a base de sustentação do prefeito no legislativo, junto com outros parlamentares. Ambos esperam contar o apoio do Diretório Estadual do PDT e devem disputar internamente a indicação pela vaga.

Também estão sendo cogitados os nomes da vereadora, Elange Ribeiro do PSD. Ela também compõe a base de sustentação do prefeito na Câmara Municipal. Elange foi Secretaria de Turismo na gestão anterior, e disputou a eleição de outubro de 2019 como candidata a vice-prefeita na chapa adversária a do prefeito Edson Moraes. A vereadora esta filiada ao PSD partido comandado teoricamente pelo médico Diogo Bossay, filho da prefeita cassada, Marlene Bossay.

Também é lembrado o nome do atual vice-prefeito, Ronaldo Lisboa (Patriota), popularmente conhecido por Coca. Comerciante, pela primeira vez ele ocupa um cargo público.

Outra que tem sido sondada para compor a chapa no cargo de candidata a vice-prefeita é a ex-vereadora Kátia Roas (PSDB). Kátia que ocupou o cargo de secretária de Habitação da prefeitura municipal, se desligou do cargo no prazo estabelecido pela legislação eleitoral. Além de estar filiada ao PSDB, partido do prefeito Edson Moraes, o marido de Kátia Roas, Marcio Henrique Pereira é assessor parlamentar do deputado Federal Beto Pereira (PSDB) e o presidente do diretório municipal do partido. Teoricamente eles teriam o “controle” do partido.

Segundo declarações de um dos postulantes ao cargo, vereador Nilton Medeiros (PDT) teria sido feito um acordo entre os postulantes ao cargo de pré-candidatos a vice, que o nome que melhor despontar em pesquisas de opinião pública deverá ser o indicado.

Com exceção do vereador Nilton Medeiros (PDT), nenhum dos demais citados nessa matéria foram ouvidos pela reportagem, uma vez que as informações foram recebidas de fontes vindas dos bastidores da política local.

Por enquanto, seguem as negociações em torno da disputa eleitoral.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com