Número dois da Saúde diz que recomendações de Bolsonaro não mudam orientações do ministério

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, disse que, as recomendações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro não mudam as orientações dadas pela pasta no combate ao novo coronavírus. Segundo ele, o ministério continuará aconselhando que as pessoas diminuam a circulação nas ruas e evitem as aglomerações como forma de reduzir o risco de contágio. O vírus já matou 92 pessoas do Brasil.

Secretário-executivo do Ministério da Saúde João Gabbardo dos Reis Foto: Sergio Lima / AFP

Questionado se o Ministério da Saúde pararia a campanha de isolamento social para atender o discurso de Bolsonaro, Gabbardo, que é o número dois da pasta, abaixo apenas do ministro Luiz Henrique Mandetta, respondeu:

Não vejo nenhum sentido nisso. Não existe essas hipótese. O discurso do presidente, nós não vamos fazer nenhuma análise dele, mas as recomendações que estão sendo dadas não modificam em nada as orientações do Ministério da Saúde. Continuam sendo as mesmas — disse Gabbardo.

Em seguida, listou as recomendações:

Pacientes com sintomas devem ficar em isolamento. Familiares dos pacientes com sintomas devem ficar em isolamento. Pessoas que tenham comorbidade, doenças crônicas devem ficar em isolamento, independentemente da idade. Pessoas com mais de 60 anos devem ficar em isolamento. Todos devemos diminuir a circulação para evitar aglomerações. Essas medidas do Ministério da Saúde em nada foram modificadas e continuarão sendo as mesmas.

Bolsonaro vem recomendando o isolamento vertical, ou seja, o isolamento apenas dos grupos de risco, como idosos e pessoas com outras doenças. Também vem defendendo a volta à normalidade para os demais, com o retorno, por exemplo, ao trabalho e às aulas.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com