Cuidados especiais para evitar o coronavirus

Preocupado com a saúde e o bem-estar dos trabalhadores da UFMS, Institutos federais e do Hospital Universitário, especialmente os idosos, aposentados e pensionistas,  em relação a possíveis contaminações com o Coronavirus, o SISTA-MS sugere que essas pessoas evitem aglomerações e até a saída de casa. A entidade vai reforçar também o atendimento por telefone (67 99234-7069), para evitar o deslocamento até a sua sede para resolver qualquer questão.

As pessoas devem evitar aglomerações e até a saída de casa – Foto: Reprodução

A Assessoria Jurídica da entidade também vai estar disponível dos sindicalizados, via telefone e email.

De acordo com a coordenadora do SISTA-MS, enfermeira Cléo Gomes, o momento é delicado e todo cuidado é necessário para evitar a contaminação das pessoas. “Os idosos, em especial, que são mais susceptíveis a contrair a doença, assim como as gestantes. Elas precisam se cuidar e o sindicato vai colaborar para isso, evitando seu deslocamento até à entidade. Os atendimentos também poderão ser feitos pelo email (sistamsbr@gmail.com) ”, informa a coordenadora.

SINTOMAS – De acordo com a enfermeira Cléo Gomes, com base nas informações da Organização Mundial de Saúde, são esses os seguintes sintomas dessas doenças:

CORONAVIRUS

Febre alta

Tosse seca

Dificuldade para respirar

Cansaço

Fadiga

Diarréia

Importante: Há casos em que o infectado apresenta algum ou nenhum sintoma.

GRIPE

Febre

Tosse

Dor de cabeça

Dor nos músculos e nas juntas

Dor de garganta

Coriza

ALERGIA

Espirros

Tosse

Olhos irritados

Coriza

CUIDADOS – Atitudes adotadas no dia a dia, como lavar as mãos e evitar aglomerações, reduzem o contágio pelo coronavírus.

Os vírus respiratórios se espalham pelo contato, por isso a importância da prática da higiene frequente, a desinfecção de objetos e superfícies tocados com frequência, como celulares, brinquedos, maçanetas, corrimão, são indispensáveis para a proteção contra o vírus. Até mesmo a forma de cumprimentar o outro deve mudar, evitando abraços, apertos de mãos e beijos no rosto. Evitem o compartilhamento de utensílios, tais como: bomba  de chimarrão, garfo, copos e talheres. Hábitos comuns aqui no estado é o tereré e chimarrão que por enquanto devem ser suspensos ou não compartilhados. Essas são as maneiras mais importantes pelas quais as pessoas podem proteger a si e sua família de doenças respiratórias, incluindo o coronavírus.

Entre os jovens é muito comum o uso de narguile. Orientamos o não compartilhamento. As gestantes também precisam de cuidados especiais para evitar a contaminação.

Para os serviços públicos e privados, é indicado que disponibilizem locais (com água e sabão/detergente/sabonete – de preferência líquidos) para que os trabalhadores lavem as mãos com frequência, álcool em gel 70% e toalhas de papel descartáveis.

A vacina contra a gripe também é recomendada e a Campanha Nacional de Vacinação terá início no dia 23 de março, quando idosos e profissionais de saúde terão prioridade para se vacinarem. A vacina contra a influenza garante proteção para três tipos de vírus (H1N1, H3N2 e Influenza B). Mesmo que a vacina não apresente eficácia contra o coronavírus é uma forma de prevenção para outros vírus, ajudando a reduzir a demanda de pacientes com sintomas respiratórios e acelerarem o diagnóstico para o coronavírus.

A gravidade e letalidade da doença tem sido maior na população idosa e com alguma comorbidade (doença de base). Porém, não podemos esquecer que muitas pessoas são assintomáticas, principalmente as crianças e jovens. Contudo, podem transmitir a doença.

Importante ressaltar:

1-Idosos permaneçam em casa;

2- Pessoas que estiverem gripadas fiquem em casa. Caso necessitem sair usem máscaras comuns para proteger aos outros quando tossir e espirrar;

3- Trabalhadores da área de saúde e pessoas com imunidade comprometida devem usar máscaras;

4- Pessoas com diagnóstico de coronavírus ou que tiveram contato com pessoas doentes fiquem em casa por 14 dias; As que apresentarem siansi e sintomas devem seguir a mesma orintação;

5 – Viajante de regiões com muitos casos (epidêmico) fique em casa por 14 dias;

6 – Evitem aglomerações (shows, boates e festas) e lugares fechados com muitas pessoas (igrejas, cinemas, shoppings, reuniões, congressos, seminários, academias, etc);

7 – Pessoas doentes não visitem idosos ou pessoas com doenças autoimunes (diabetes, artrite reumatóide, LUPUS, etc.). Portadores de doenças crônicas  (renal cronico, diabetes, câncer) tendem a ser imunocomprometidos, ou seja, estão dentro do grupo de risco.

Apresentando sinais e sintomas ou sendo proveniente de regiões epidêmicas procurem a Unidade Básica de Saúde – tomando as devidas precauções para não infectar outras pessoas -.  O bom senso é fundamental. Vivemos em sociedade, devemos ter respeito e zelar pela vida humana.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com