Orquestra mineira realiza oficina e apresentação em Corumbá

Alunos de música do Instituto Moinho Cultural Sul-Americano, em Corumbá (MS), participaram ao longo desta semana de aulas e oficinas ministradas por uma das mais prestigiadas formações orquestrais do País, a Orquestra Ouro Preto, de Minas Gerais.

Adolescentes durante a aula de música – Foto: Divulgação

Durante cinco dias de atividades, os jovens tiveram a oportunidade de desenvolver habilidades musicais e de trocar experiências com o maestro Rodrigo Toffolo e os músicos Rafael Alberto (percussão), Leonardo Lacerda e Marcio Valladão (cordas). O encerramento vai ser marcado por uma apresentação aberta ao público neste sábado (24), às 10h30min, no instituto.

Com o objetivo de fortalecer a formação da música de concerto no Brasil, “o intercâmbio entre os alunos e os músicos agrega valores que vão além do ensino da técnica. É uma oportunidade de crescimento pessoal, amplitude da autoestima, potencializa a união entre os aprendizes na área musical e fortalece o vínculo do participante com a instituição”, destaca a diretora-executiva do Instituto Moinho Cultural, Márcia Rolon.

Participam das atividades cerca de 100 alunos da Orquestra Infantil, Orquestra Infantojuvenil e da Orquestra de Câmara do Pantanal. “Os alunos estão empolgadíssimos, é uma oportunidade única”, frisa.

Residência

Além das aulas em Corumbá, os alunos vão a Belo Horizonte (MG) em setembro para vivenciar o cotidiano da Orquestra Ouro Preto com uma residência musical.

A ação faz parte do Programa Vale Música, lançado este ano, que prevê a integração de projetos já patrocinados pela mineradora, como a Orquestra Ouro Preto (MG) e o Instituto Moinho Cultural (MS), além do Vale Música Belém (PA), Vale Música de Serra (ES) e a Orquestra Sinfônica Brasileira (RJ). “Duas crianças serão escolhidas para a apresentação com a Orquestra Ouro Preto. Depois, em dezembro, integrantes da Orquestra Sinfônica Brasileira farão oficinas em Campo Grande e selecionarão alguns músicos do Moinho para uma apresentação no Rio de Janeiro”, explica Rolon.

Patrocinado há 14 anos pela Vale, via lei de incentivo à cultura, o Instituto Moinho Cultural já beneficiou mais de 20 mil crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco social. São ofertadas aulas de balé, música clássica, acesso à informática, apoio escolar, entre outras atividades, no contraturno escolar. O espaço atende crianças e jovens de Corumbá, Ladário e das cidades bolivianas Puerto Suarez e Puerto Quijarro, possibilitando um importante intercâmbio cultural. Desde 2005, a Vale repassou quase R$ 14 milhões ao Moinho para ações de apoio à manutenção da instituição, além de mais de R$ 2 milhões para a reforma do prédio.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com