“Traficantes de Jesus”: polícia e MPF miram intolerância religiosa do Rio

A Polícia Civil e o MPF (Ministério Público Federal) se articulam para interromper ataques reiterados de quadrilhas de traficantes contra terreiros de religiões de matriz africana localizados em comunidades na Baixada Fluminense e em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Sob ameaça, homem arrebenta cordões em meio a templo destruído em 2017 – Imagem: Reprodução

Na última quinta-feira (13), homens de quatro delegacias deflagraram uma operação para reprimir criminosos que expulsaram um pai de santo em uma favela de Nova Iguaçu, na baixada. O MPF pediu informações a 120 grupos religiosos que atuam nas prisões com autorização da Seap (Secretaria de Administração Penitenciária).

A ação policial ocorreu na comunidade do Buraco do Boi e contou com a participação da Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), DCOD (Delegacia de Combate às Drogas), Desarme (Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos) e da 58ª DP (Posse, em Nova Iguaçu).

Os agentes foram a 22 endereços para levantar informações sobre as ações de intolerância religiosa por parte da quadrilha. Também havia a expectativa de cumprir mandados de prisão contra traficantes, mas ninguém foi preso. Com informações do UOL

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com