Audiência Pública debate o 20º Festival de Inverno de Bonito

A Fundação de Cultura do Mato Grosso do Sul (FCMS), juntamente com o Fórum Municipal de Cultura de Bonito, realizou nesta quinta-feira, dia 11 de abril de 2019, no Plenário da Câmara Municipal, uma audiência pública com a finalidade de debater a organização do 20º Festival de Inverno de Bonito e a participação dos artistas e da comunidade local no evento.

Uso da palavra foi aberto ao público, mediante inscrições – Foto: Divulgação

A 20ª edição do festival está programada para o período de 25 a 28 de julho deste ano.

A audiência foi coordenada pelo diretor de projetos da Fundação de Cultura (FCMS), Zito Ferrari, após ser aberta pela diretora-presidente da entidade, ex-deputada Mara Caseiro, que destacou a total disposição do governo estadual em debater de maneira transparente a realização do festival com a comunidade.

A mesa formada para direção dos trabalhos foi também composta pelo prefeito municipal, Odilson Soares; pelo vereador Ednaldo Gregório Dias (Pantera), vice-presidente da Câmara Municipal; pelo secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Augusto Barbosa Mariano; pela secretária municipal de Educação e Cultura, Roseli Gambim e pela presidente do Fórum Municipal de Cultura, Fernandinha Reverdito, que fizeram uso da palavra durante a abertura.

A audiência contou ainda com as presenças de diretores das diversas áreas de produção cultural da FMCS (incluindo música, dança, teatro, artes visuais e artesanato, entre outras), bem como de artistas, produtores culturais, professores, secretários municipais, vereadores e representantes do distrito Águas do Miranda.

Sugestões e propostas

Durante a audiência, que transcorreu de maneira democrática, com inscrições abertas para quem quisesse fazer uso da palavra, foram feitas as seguintes propostas:

1 – Que o festival tenha em sua programação oficinas voltadas para os professores;

2 – Que seja assegurada pela FCMS o apoio à continuidade dos trabalhos da comissão já formada para debater a realização do Festival de Inverno, fortalecendo a participação da comunidade;

3 – Mudança do local de realização dos shows musicais, considerando-se que a Praça da Liberdade não oferece as condições necessárias para abrigar um grande público, tampouco visualização adequada da apresentação;

4 – Que a divulgação do festival comece desde já, na medida em que a data da realização do evento já está confirmada, incluindo divulgações parciais, na medida em que as atrações forem sendo confirmadas;

5 – Que seja assegurado o devido espaço para as Artes Visuais, que estaria sendo relegada e desprestigiada no Estado;

6 – Que o palco para a apresentação dos shows não seja mais montado em frente à igreja de São Pedro (construída em 1922), a pedido do padre responsável pela paróquia, devido aos diversos transtornos causados;

7 – A inclusão no evento de uma programação voltada para os autistas;

8 – A formação de uma equipe permanente voltada para a viabilização financeira anual do evento;

9 – A ampliação e melhoria do espaço voltado para os indígenas, bem como a participação de representantes da comunidade negra quilombola;

10 – Maior ocupação da mão-de-obra local na montagem da infraestrutura do festival e na realização de outros serviços necessários;

11 – Inclusão da música eletrônica na programação;

12 – Maior divulgação da competição gastronômica organizada pela Abrasel;

13 – Maior participação de Águas do Miranda nas atividades do festival realizadas na cidade, mantendo também a realização de oficinas no distrito;

14 – Divulgar na programação o distrito Águas do Miranda;

15 – Utilizar os serviços de intérprete de libras local;

16 – Inclusão de uma atração musical Gospel na programação;

17 – Divulgação com a maior antecedência possível das atrações nacionais programadas, fortalecendo a comercialização de pacotes turísticos nacionais e internacionais;

18 – Definir como tema da 20ª edição do festival a importância da preservação das águas e do meio ambiente de Bonito.

Críticas

Foi relatado por uma participante que o cachê devido pela apresentação dos artistas locais do grupo “Canta Bonito”, no festival do ano passado (2018), ainda não teria sido pago.

Em resposta, a presidente Mara Caseiro ressaltou que assumiu a direção da FMCS em fevereiro deste ano e que encontrou diversas pendências financeiras. A previsão, no entanto, é que elas sejam regularizadas até o próximo mês de julho. Esclareceu ainda que o pagamento do cachê já foi liberado e estava previsto para ser efetivado nesta quinta, em nome do responsável pelo grupo de artistas.

Encaminhamento das questões apresentadas

Sobre as diversas questões apresentadas a presidente, com apoio do corpo técnico da FCMS, mostrou-se favorável à incorporação da maioria das sugestões formuladas, ampliando a participação dos diversos segmentos e dos artistas locais, ressalvando que:

  • Em relação à mudança de local para a realização dos shows nacionais encontram-se em negociação dois locais alternativos, e que, embora não haja ainda nada definido, eles não serão realizados na Praça da Liberdade;
  • A divulgação parcial das informações disponíveis é possível e importante – mas a divulgação oficial da programação está prevista para o dia 1º de julho devido aos trâmites legais necessários (publicação de editais, licitações, contratações, etc.);
  • Que o edital da realização do 20º Festival de Inverno de Bonito será lançado em breve, aberto à participação (mediante prévia seleção) de todos os artistas do Estado.

Encerradas as perguntas e respostas, deliberou-se pela realização de uma nova audiência pública, em data a ser ainda definida, com a finalidade de avaliar o encaminhamento das decisões tomadas.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com