Deputados evangélicos dizem que luta LGBT é de esquerda e elogiam Bolsonaro

No primeiro dia de governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não incluiu o termo LGBT na medida provisória que fixou as diretrizes do Ministério dos Direitos Humanos.

Bolsonaro publicou na sua conta no Twitter que nenhum indivíduo perderá seus direitos – Foto: Reprodução

Parlamentares da ala evangélica da Câmara dos Deputados apoiam a aitutde e elogiam Bolsonaro. Membro da Assembleia de Deus, o deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM/RJ) afirmou que a luta pelo respeito aos homossexuais deve ser de todos. Diferente da militância LGBT que considera possuir um “viés político ideológico de esquerda”, conforme informou ao UOL.

“LGBT é um movimento político ideológico de esquerda. Entendo que o presidente acertou na medida provisória ao excluir o termo. Ele falou que não faria política com viés ideológico. Estranho se tivesse posição diferente”, disse.

O Pastor Eurico (Patriota/PE) foi ainda mais contundente ao classificar as lideranças dos movimentos LGBT. “Pessoas por trás são pessoas esquerdomaníacos, esquerdopatas. Defendo a posição (do presidente)”.

Nesta quinta-feira (3), Bolsonaro publicou na sua conta no Twitter que nenhum indivíduo perderá seus direitos, disse que pretende livrar da “escravidão política” muitos brasileiros que “foram usados como massa de manobra”, sem citar nenhum grupo específico.

Na internet, grupos LGBT e a favor da causa manifestam por conta da retirada de políticas públicas destinadas a esse público das diretrizes de Direitos Humanos.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com