Ex-prefeito Nelson Cintra alvo da Operação Vostok se apresentou à PF

Se apresentou na Superintendência Polícia Federal no início da tarde de hoje, o ex-prefeito de Porto Murtinho e ex-secretário de Estado de Mato Grosso do Sul, Nelson Cintra. Ele é alvo da Operação Vostok, que prendeu outros 12 suspeitos de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Ex-prefeito Nelson Cintra, a polícia ainda não tem pistas do corretor de gado José Ricardo Guitti Guimaro, apelidado de Polaco – Foto: Arquivo

Com a apresentação de Cintra, o corretor de gado José Ricardo Guitti Guimaro, apelidado de “Polaco”, é o único alvo da operação que continua foragido.

A polícia procurou por Polaco em dois endereços, sendo um em Aquidauana e outro em Trairão, no Pará, onde teria residência própria, no entanto, ele não foi encontrado em nenhum dos locais, nem apresentou defesa até a tarde de hoje.

Ameaça

Polaco é apontado como um dos operadores do esquema investigado na operação da PF. Ele também recebia propinas e é alvo de mandado de prisão temporária.

Suposto plano para matá-lo, foi um dos principais motivos para a Polícia Federal pedir a prisão de empresários, políticos e pecuaristas ligados à cúpula da administração Reinaldo Azambuja (PSDB).  A revelação consta na decisão do ministro Felix Fisher, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que determinou a prisão temporária de 14 pessoas, durante operação Vostok, desencadeada hoje.

Consta na decisão da Justiça de que “no bojo das investigações, verificou-se a possível arregimentação de eventual eliminação/morte de um dos atores da organização criminosa, o investigado José Ricardo Gutti Gumari, conhecido como “Polaco”, em decorrência da sua ausência de fidelidade a organização”.

Conforme o documento, Polaco estaria chantageando os envolvidos no esquema, sob ameaça de que faria uma delação premiada. Consta ainda que o aposentado Luiz Carlos Vareiro, 61 anos, era quem teria sido contratado para e executador o“serviço”, depois  de Polaco ser citado em reportagem do programa Fantástico, Rede Globo, exibida no dia 28 de maio de 2017, que denunciava o esquema.

Preso por suposto roubo de veículo na BR-262, Vareio denunciou o plano, que teria sido encabeçado pelo filho do governador, Rodrigo Souza e Silva.

Na época, o lavador de carros denunciou que roubou “propina” de R$ 270 mil paga por integrantes da administração estadual a Polaco.

Articulador do roubo, Luiz Carlos Vareiro exigiu a presença do Ministério Público Estadual para revelar como orquestrou o crime. O promotor Marcos Alex Vera de Oliveira, do Grupo Especial de Combate à Corrupção, compareceu à delegacia para ouvi-lo.

De acordo com Luiz Carlos, o filho de Reinaldo Azambuja teria lhe procurado para encomendar o roubo da propina destinada a Polaco, além da morte do corretor. Com informações do Correio do Estado

Comente esta noticia...

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com