A cada 22 minutos uma pessoa é roubada ou furtada em Campo Grande, diz Sejusp

Dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) apontam que Campo Grande registrou um total de 10.782 roubos e furtos nos 164 primeiros dias do ano, equivalente a 1º de janeiro até esta quarta-feira (13).

De acordo com os dados, a cada 22 minutos, uma pessoa é roubada ou furtada na cidade, ou seja, um total de 65 vítimas diárias.

No interior do estado teve registro de mais de 10 mil furtos nos 164 primeiros dias do ano – Foto: Câmeras de Segurança

Portanto, se você demorar esse mesmo tempo para ler esta reportagem, alguém já foi vítima de um desses dois crimes. Os números ainda impressionam quanto aos furtos no interior de Mato Grosso do Sul. Só este ano, foram 10.148 registros, cerca de 2 mil casos a mais do que na capital.

Nesse mesmo período no ano de 2017, foram registrados 3,3 mil roubos em Campo Grande e 2.037 nos outros 78 municípios, o que representa 32 roubos por dia em todo o estado. Os números ainda apontam que em todo o Mato Grosso do Sul, nos 164 primeiros dias do ano anterior, 114 foram vítimas de furto a cada 24 horas, uma diferença de cinco pessoas a mais se comparar com este mesmo período de 2018, que registrou 109 furtos por dia.

Um desses casos acabou em tragédia na noite de terça-feira (12). Um estudante reagiu a um assalto, foi baleado e morreu no local. Segundo as informações do Corpo de Bombeiros, o crime foi no bairro Coophatrabalho. O assaltante fugiu a pé, deixando para trás a motocicleta utilizada no crime e dois celulares. Homem foi preso nesta quarta-feira (13).

Esse é o depoimento de uma jovem, que não quis se identificar, ferida ao tentar ajudar um casal vítima de roubo em Campo Grande, no dia 16 de março deste ano.

Segundo a estudante, o crime foi por volta das 22h (MS) quando a jovem comemorava o aniversário com a irmã. Elas ouviram gritos de socorro na frente da residência e ela decidiu intervir. “A menina estava com o namorado e o cara [assaltante] começou a atirar para cima deles”, explica.

De acordo com a jovem, eram dois suspeitos. Um deles fugiu do local com a motocicleta das vítimas. “Eu me senti impotente na hora que a assaltante atira em direção ao casal. Eu comecei a gritar e chamar a atenção dele e foi aí que ele atirou em mim”, comenta ao G1.

O disparo acertou em um dos pés da menina. O suspeito fugiu e o casal, assustado, foi embora. Mesmo sabendo do risco, a jovem diz que não se arrepender dos atos, pois não suportaria saber que algo de pior pudesse acontecer com os outros dois. Hoje ela se recupera e passa por sessões de fisioterapia.

Em outro bairro de Campo Grande, um militar do corpo de bombeiros, de 24 anos, que também não será identificado, foi vítima de roubo. Segundo o militar, o susto que passou foi no início do ano.

“Ele encostou perto do meio fio e anunciou o assalto, tirando a arma. Como estava perto, eu decidi correr do que entregar [celular]. Foi aí que ele atirou na minha cabeça, mas a arma falhou”, relata ao G1.

Dicas

Segundo o Coronel da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Mario Ângelo Ajala, a vítima de roubo nunca deve reagir, mesmo com a confirmação de que o suspeito não esteja armado.

É importante observar algumas caracteritas do autor do crime para depeis passar à polícia. Se alguma pessoa foi vítima de furto ou roubo, é necessário fazer de imediato o boletim de ocorrência, pois o objeto furtado ou roupado pode estar na mão de outras pessoas que nem sabe a origem dele. Com informações do G1

Comente esta noticia...

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com