“Debate político está doente e ideias padecem de boa fé”, diz Fábio Trad

Em discurso bastante elogiado no plenário, parlamentar pediu mais serenidade e tolerância, apelo semelhante ao de ministra Carmen Lúcia feito duas horas depois na tevê

Nesta segunda-feira, cerca de duas horas antes de ir ao ar, pela TV Justiça, o pronunciamento da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmen Lúcia, o deputado federal Fábio Trad (PSD-MS) subiu à tribuna da Câmara dos Deputados para fazer semelhante advertência por mais serenidade e tolerância no debate das opiniões.

Deputado federal Fábio Trad (PSD-MS) na tribuna- Foto: Divulgação

Em discurso contundente e bastante elogiado por seus pares no plenário, o parlamentar disse que “o debate político está doente e as ideias padecem da tão indispensável boa fé necessária para que possamos nos
permitir ser convencidos diante de eventual superioridade argumentativa do interlocutor”. Ele ainda citou a “ideologização do debate como uma perversa patologia mental e política que só desagrega o País,  contribuindo para a radicalização e intolerância que estão minando a democracia”.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, a Ministra Carmen Lúcia exortou os brasileiros para que tais “diferenças ideológicas não sejam fonte de desordem social” e que “a efetividade dos direitos conquistados pelos cidadãos brasileiros exige garantia de liberdade para exposição de ideias e posições plurais, algumas mesmo contrárias”, apelando para a “serenidade das pessoas” e a necessidade de todos “colocarem suas ideias e posições de forma legítima e pacífica”.

As semelhanças não pararam por aí. Repercutido em todo o País, alguns trechos do discurso da ministra, segundo analistas políticos, pareciam endereçados aos próprios juízes que compõem o STF, principalmente os ministros Gilmar Mendes e Luis Roberto Barroso, que ao suscitar velhas rusgas que nutrem entre si protagonizaram acalorado bate-boca durante sessão do último dia 21. “O sentimento de brasilidade deve sobrepor-se a ressentimentos ou interesses que não sejam aqueles do bem comum a todos os brasileiros”, advertiu Carmen Lúcia.

O deputado Fábio Trad não deixou por menos e, do alto da tribuna, também distribuiu recados aos seus pares: “Precisamos unir o País em torno de uma agenda capital para a própria legitimação do Estado Democrático de Direito. Para tanto, urge mudar a linguagem dos políticos”.

O parlamentar criticou os discursos de ódio e fomento às diferenças, as posturas simplistas e demagógicas de parte dos políticos, que “esterilizam o debate e adoecem a inteligência daqueles que deveriam conduzir os destinos do País”. Com informações da assessoria

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com