O poder da catuaba: veja mitos e verdades sobre a bebida que virou moda nos blocos

Há mais de 20 anos no mercado e no coração dos boêmios, a catuaba arrebatou o carnaval. Virou a bebida queridinha dos foliões nos blocos. Eles explicam o porquê: o preço é em conta (uma garrafa de 1 litro custa em torno de R$ 12) e ela pode ser consumida quente ou gelada. Feita à base de planta, ela ainda promete efeito afrodisíaco. Mas não é bem assim…

A bebida marcando presença no bloco da Preta Gil Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo

— Ainda faltam estudos científicos que comprovem a eficácia da catuaba como estimulante sexual. A fama é por crendices populares. Antes da popularização dos comprimidos para ereção, usava-se de tudo o que diziam para ajudar na ereção — diz o sexólogo Alfredo Romero.

Ele afirma ainda que os efeitos da catuaba podem ser por conta do álcool presente na bebida.

— O álcool tem poder vasodilatador da região genital e efeito desinibidor. A pessoa se sente livre de suas preocupações e aliviada para o sexo.

E os adeptos da catuaba precisam ficar atentos à uma característica da bebida:

— Como é doce, toma-se mais, sem perceber, e vai se embriagando. O açúcar dribla o cérebro e o estômago. De repente, a pessoa cai e fim de festa — conclui a psiquiatra Ana Cecília Marques.

O que é

A catuaba é uma planta de pequeno porte encontrada em diversas regiões do país. Não há estudos conclusivos sobre seus benefícios para a saúde, mas há citações de que pode ter efeito estimulante, expectorante e diurético.

Alto teor alcoólico

A catuaba selvagem é uma bebida feita à base de vinho tinto, com teor alcoólico de 16%. Outros ingredientes são suco de maçã, guaraná e marapuama. É importante lembrar que o álcool em doses elevadas prejudica fígado, coração e rins.

Olha o “drinkolé” de catuaba!

A estudante Tina Passos descobriu a catuaba há uns anos, quando viu a bebida passando de mão em mão pelas festas que frequenta. Neste carnaval, para juntar um dinheiro para viajar nas férias, está fazendo “drinkolés” para vender com sua namorada, Lua Costa. O de catuaba com polpa de açaí, o catulé, custa R$ 5 e é o mais pedido.

— Carnaval combina com catuaba. O pessoal fica me caçando nos blocos — conta a jovem, de 21 anos.

Sua presença é garantida em blocos como Orquestra voadora, no Flamengo, e Cordão do boitatá, na Praça Quinze.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com