Conferência internacional discutiu as melhores estratégias para o desenvolvimento urbano sustentável inteligente

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Governo, participou nesta semana da “UrbanTec Brasil 2017 – Soluções inteligentes para cidade melhores”. A conferência internacional discutiu as melhores estratégias de planejamento, gestão e investimento para o desenvolvimento urbano sustentável inteligente.

O secretário municipal de Governo, Antônio Cézar Lacerda, e a diretora-executiva de Planejamento e Gestão Estratégica, Catiana Sabadin, participaram do evento e mostraram os projetos e ações feitas em Campo Grande para garantir o crescimento e melhorias para a população.

Na mobilidade foram propostas oportunidades e desafios de discutir a melhor forma de introduzir novas ferramentas de gestão. Foto: Arquivo

Resiliência, energias renováveis e iluminação pública, mobilidade urbana, planejamento e sustentabilidade, e sistemas de inovação e financiamento foram os temas principais que nortearam os debates. Prefeitos, administradores e planejadores públicos puderam compreender como utilizar as inovações tecnológicas e sociais para tornar as cidades mais eficientes e inclusivas.

Para o secretário municipal de Governo, Antônio Cézar Lacerda, o encontro entre representantes da administração pública foi de extrema importância por apresentar a situação atual, os recursos e desafios para fazer as cidades crescerem. “Apontamos propostas, projetos e oportunidades de investimentos. Encerramos nossa estada aqui no Rio de Janeiro certos de que cada debate nos ajudará fazer Campo Grande cada vez melhor. Mostramos o nosso trabalho e aprendemos com o trabalhos dos demais”, disse.

O ministro das Cidades Bruno Araújo, o ministro da Ciência e Tecnologia Gilberto Kassab, o prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella, o diretor Executivo da FGV Projetos Cesar Cunha Campos entre muitas outras autoridades levaram suas experiências.

No quesito melhores práticas para uma cidade sustentável foram apresentadas novas formas de promover o planejamento urbano para uma gestão mais aberta e inclusiva. Uma das preocupações presentes no debate foram os impactos climáticos e a capacidade das cidades de resiliência.

No campo da mobilidade foram propostas oportunidades e desafios de discutir a melhor forma de introduzir novas ferramentas de gestão em procedimentos tradicionais do planejamento da mobilidade urbana.

Em relação às energias renováveis, Smart Grid e E-Mobility foram apresentadas discussões de como incentivar e financiar projetos de geração de energia elétrica de fontes renováveis no meio urbano. Quais as soluções para ampliar a rede e diminuir custos com a iluminação pública por meio de cases de sucesso que podem ser replicados.

Outro ponto que não poderia deixar de ser discutido é a transformação digital de cidades. Foram mostrados como as cidades estão se preparando para a disrupção digital e a Internet das Coisas (IoT). Desafios que cidades de todo o mundo já estão enfrentando. Enfatizando a importância da eficiência diante de recursos limitados.

O financiamento da infraestrutura urbana sustentável como forma de garantir qualidade sem aumentar os custos fechou o debate mostrando a importância das parcerias público privadas, que vem determinando a eficiência e o alcance dos projetos.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com