ARTIGO: A minha São Gabriel do Oeste…

A minha São Gabriel do Oeste…

 

Eu faço parte de uma geração que acredita que se cada um fizer sua parte é possível mudar a realidade de todos. Eu busco exercitar essa atitude diariamente dentro de minha convicção política.

Com a aproximação do início dos festejos de aniversário de São Gabriel do Oeste, que no próximo dia 12 de maio completará 35 anos, cá estou novamente escrevendo um editorial e refletindo sobre esta cidade que acredito poder chamar de minha e sobre o que espero para ela num futuro bem próximo.

Mesmo tendo nascido em Guia Lopes da Laguna, meu coração é pelo menos metade são-gabrielense, moro aqui 10 anos e vi esta cidade nascer, pois morava na cidade de Rio Verde de Mato Grosso e aqui nasceu o meu neto em 2008.

São Gabriel do Oeste é conhecida como a “Terra de Oportunidades”, com uma população ousada, empreendedora e de personalidade ímpar, com alto espírito associativista, estruturada com entidades e sindicatos aptos a serem a ponte de ligação direta entre a população a administração municipal, as instituições, secretarias de Estado, autarquias e fundações, entre a nossa bancada federal, a sociedade civil organizada, sobretudo, um elo com cidadão, esse têm sido o desafio diário de nossa população.

É preciso que as pessoas acreditem que os tempos mudaram e pra melhor, que o processo democrático se fortaleceu e se tornou mais participativo, e que a viciosa política da desconstrução do que foi feito até agora tem que acabar. O município não pode ser mais administrado por e para grupos e sim para as gerações futuras que estão sendo preparadas hoje por várias mãos e isso é condição sine qua non para toda a equipe do governo da “Gestão Participativa” comandada pelo prefeito Adão Rolim.

Nossa missão é aprimorar este canal de comunicação, absolutamente ágil, limpo e transparente. É assim também que pretendemos conduzir o diálogo com todos os setores da sociedade especialmente com os poderes constituídos como a Casa de Leis, Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e o Poder Executivo, porque entendo ser essa a melhor maneira de ir ‘ao’ e não ‘de’ encontro às situações que forem surgindo, assim, evitando conflitos e divergências que tanto teimam em rondar os nosso relacionamentos.

O diálogo e a informação serão sempre o foco de todos os nossos esforços. A hora é de olhar pra frente e continuar a caminhada que, me lembro muito bem, não começou ontem, ao contrário, começou lá atrás. Há 15 anos a história deste município está sendo contada pelo Jornal Folha de São Gabriel.

Não há dúvidas, as palavras até nos convencem, mas o que arrasta as pessoas é o exemplo. Vou continuar sonhando com um lugar melhor para meus filhos viverem.

Nesta São Gabriel do Oeste que eu almejo teremos políticas públicas e gestores municipais comprometidos com a população. Na minha São Gabriel do Oeste ideal, o calor humano e as cadeiras nas calçadas no fim de tarde não serão ofuscados pela violência, muito menos a alegria do povo não será inflamada ou insuflada pela mentira, pelo ódio e tampouco pelo rancor de uma eventual derrota política.

Enfim, a minha, a sua e a nossa geração não compactua com as velhas práticas políticas, do modismo e aceitação prévia de que todos fazem assim. A São Gabriel do Oeste que eu desejo e que sempre vou lutar para ter é aquela eternizada na música de Mário Luiz Correa “Aqui”, pra gente nunca se cansar de dizer: São Gabriel do Oeste não troco por nada…

 

Victor Luiz Martins Currales – DRT/MS1320

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com