Literatura, teatro e música de graça marcam Espaço da Poesia em Campo Grande

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul realiza nesta sexta-feira (31), às 19 horas, no Terraço do Memorial da Cultura e Cidadania, mais uma edição do Espaço da Poesia. Com várias intervenções artísticas e culturais, o Espaço terá declamações, lançamento de livro, teatro e boa música. A entrada é de graça.

Para abrir o evento o Coral da Fundação de Cultura irá interpretar clássicos da música nacional e sul-mato-grossense. Criado com o objetivo de incentivar servidores e membros da comunidade à prática do canto coral, o grupo também representa um meio de socialização. Conta com 35 coralistas entre servidores e comunidade em geral. Conta com a regência do maestro Orion Cruz e a coordenação da servidora Isolina Saraiva Nantes.

Na sequência, a jornalista, produtora cultural e musicista Lenilde Ramos lança “História sem Nome”, base autobiográfica que revela toda a sua personalidade. O livro parte da história de seus pais e passa por sua infância rica e agitada, marcada pela vida no internato das freiras, a convivência com a estrada de ferro, a música, o velho cinema que ficava do lado de sua casa e uma série de coincidências que a autora vai costurando em um texto pleno de conteúdo e descrito em linguagem coloquial, cheia de humor.

Lenilde sempre foi boa contadora de histórias. Ao ouvi-las, as pessoas sempre diziam: “sua vida é um filme”. Então, o primeiro passo foi passar para o papel a marcante experiência de ter trabalhado e convivido com uma geração de pessoas afetadas pela hanseníase em uma época em que a medicina oferecia poucos recursos e os doentes viviam sob o peso de um preconceito milenar, confinados em colônias consideradas verdadeiros campos de concentração. A autora afirma que encontrou na realidade a fonte de sua literatura, pelo trabalho de muitos anos como jornalista e documentarista de vídeo.

O Grupo Vocal Maria Bonita se apresenta logo em seguida com repertório de vários estilos da música vocal, do erudito ao popular, da renascença à contemporaneidade, com ênfase no estilo “a capella” (sem acompanhamento instrumental). Na performance vocal camerística cada musicista é uma solista que interage com o grupo, o que exige domínio e entrosamento.

Resultado artístico do projeto de extensão Grupo Vocal Feminino da UFMS, que iniciou suas atividades em agosto de 2010, o grupo conta com professoras do Curso de Música e cantoras profissionais do cenário campo-grandense. Atualmente está sob a coordenação da professora Ana Lúcia Gaborim, que também integra o grupo cantando, e tem a preparação vocal de Andressa Chinzarian Miguel.

O Espaço da Poesia continua com o lançamento do livro “Receitas Marcantes Marcadas no Tempo: Cozinhando com Prosa e Poesia”, de Sagramor Farias, publicado com recursos do Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura do Estado. A obra aborda criações de cozinheiros de diferentes localidades de Mato Grosso do Sul e revela a pluralidade da nossa gastronomia.

Sagramor Faris é natural de Ladário. Deixou a cidade natal ainda criança e foi para São Paulo, adquirindo experiência como locutora de TV e rádio. Atualmente pertence à Academia Corumbaense de Letras e à União Brasileira de Escritores. Já publicou outros quatro livros: “no azul dos sonhos meus”; “fragrâncias”; “onde estão as borboletas” (editado em Portugal) e “Unidas pelo nome e pela poesia” (em parceria com sua xará Sagramor Benedicto).

A Associação Sustentabilidade Humana realiza no Espaço da Poesia uma homenagem a Monteiro Lobato com uma apresentação especial do espetáculo “Os Dias Atuais são Todos Iguais”, encenado pelas crianças da Associação Lar do Pequeno Assis, entidade que cuida de jovens em situação de vulnerabilidade, administrada e acompanhada pela Arquidiocese de Campo Grande, patrocinada por um dos convênios do governo do Estado.

Projeto criado há 11 anos em Guarulhos (SP) por Eduardo Lopes, a Associação Sustentabilidade Humana visa à felicidade do ser humano eliminando os elementos que possam destruí-la, como violência e drogas. De forma lúdica, por meio da música e da arte, histórias com heróis e vilões criados com base nos nomes das substâncias proibidas apresentam um mecanismo preventivo que instrui e informa crianças e suas famílias.

O Grupo Unicórnio, dirigido por Jair de Oliveira e Amélia Rocha, apresenta em seguida a peça “Os Músicos de Bremen”, inspirada no conto dos Irmãos Grimm. O espetáculo narra a história do encontro de quatro animais (um jumento, um cachorro, uma galinha e uma gata), que devido a maus tratos, fugiram de seus patrões. Juntos eles decidem formar um grupo musical e rumam à cidade para começar a carreira artística. No caminho encontram seus antigos donos e temendo serem novamente escravizados, resolvem enfrentá-los.

A autora Célia Virgínia apresenta no Espaço da Poesia a obra “Fábulas de Virgínia”. Entre os estudos e a adolescência a escritora escrevia e desenhava. Aos 17 anos interessou-se por teatro infantil. Foi então que começou seu contato com as crianças. Cursou magistério sem deixar de produzir seus textos, entre contos, romances e fábulas, hoje reunidos em uma publicação muito especial.

Quem se apresenta em seguida é o músico André de Souza, conhecido como André Violinista, que começou aos 12 anos os primeiros passos com a música na cidade de Itu, interior de São Paulo. Em 1992 mudou-se para Campo Grande, onde começou a estudar violino em uma igreja local. Em um recital com Solistas de Londrina, decidiu deixar tudo que fazia para sustento e seguir a árdua tarefa em se preparar para carreira de músico violinista. “Percebi que é realmente isso que eu amo e mais quero para meu futuro”, conta.

Participou de várias oficinas e cursos com os renomados violinistas Eva Szekeli (USA), Daniel Guedes (RJ), Cláudio Cruz (SP), Jorge Risi (Uruguai), Nicolas Koechert (Alemanha), entre outros. Em 2012 retornou para Campo Grande para se dedicar inteiramente ao repertório popular.

Já os músicos Luciana Fisher e Renato Oliveira encerram com boa música o Espaço da Poesia. Eles farão uma prévia de “Ternário”, segundo álbum de Luciana, projeto patrocinado pelo Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura que está em fase final de produção.

“Ternário” homenageia a música sul-mato-grossense, prestigiando compositores como Guilherme Rondon, Paulo Simões, Celito Espíndola, Carlos Colman, Aloysio Nunes e Orlando Brito, que genialmente representam em suas músicas as paisagens e peculiaridades da nossa cultura. O álbum conta também com canções de Luciana Fisher e Renato Oliveira.

Formada em Educação Artística pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Música pela UniFMU, Luciana Fisher estudou canto com Clarice Maciel, Carmo Barbosa e Isabel Maresca. Participou dos corais da UFMS, da TV Educativa, da Justiça Federal (como regente) e do Collegium Musicium, de São Paulo, além do Coral e Orquestra Clássica de Mato Grosso do Sul e do grupo Trovadores do Tempo.

Renato Oliveira iniciou os estudos de violão aos 8 anos com Carlos Colman, em Campo Grande. Em 2011 reiniciou os estudos de violão erudito com André Porto, com quem estuda até hoje. É integrante da Orquestra de Câmara do Instituto de Cultura Espírita de Mato Grosso do Sul.

Serviço

O Espaço da Poesia acontece nesta sexta-feira (31), a partir das 19 horas. A entrada é franca. O Memorial da Cultura fica na avenida Fernando Correa da Costa, 559, no Centro.

Sem Comentarios

2010 © Gazeta do Pantanal - Campo Grande - MS - www.gazetadopantanal.com